27 novembro 2016

Bangkok | Roteiro de quatro dias, com dicas de passeio, locomoção e hospedagem

Bangkok nunca foi um destino de sonho na minha lista de viagens, enquanto que as praias da Tailândia figuravam no topo da lista. Em 2014, escrevi o post "Viagens que Sonhamos | Top 5 da nossa wish list", contando alguns dos nossos sonhos de viagens.  Mas como as passagens mais baratas sempre eram viam Bangkok, incluímos quatro dias para conhecer a cidade que eu achava ser caótica, com um misto de mística. Não parecia ser o tipo de cidade que eu fosse gostar e talvez por ter baixa expectativa, me surpreendi positivamente e me encantei pela cidade.


Bangkok é um pouco caótica sim, tem os postes de luz lotados de fiações que chegam a ser assustadoras, sujeira nas ruas, vendedores ambulantes e milhares de tuk tuks compartilhando espaço nas ruas com os carros. Mas falando em infra estrututura não é nada tão diferente do que temos aqui no Brasil.

A cidade contrasta prédios modernos, com a arquitetura dos templos budistas, o caos das ruas e o lado zen  proporcionado pelo budismo. Você verá muitas imagens de Buda, por todos os lugares, e todos os cantos. Acho que foi esse lado zen que me conquistou. Bangkok me supreendeu.
Como se locomover |
Bangkok foi uma grata supresa no quesito deslocamento. Embora a cidade seja caótica, os deslocamento são tranquilos, pelo menos na área central da cidade. Para locais fora do centro, pegamos um pouco de congestionamento.
Do aeroporto para o hotel e do hotel para o aeroporto, pegamos um táxi. Foi a maneira mais prática e rápida para esses deslocamentos. Abaixo vou listar os custos.
Nos deslocamentos internos, abusamos dos tuk tuks e também dos barcos que fazem o trajeto pelo rio Chao Praya, que funcionam como se fossem ônibus.
#Dica: Antes de embarcar em um tuk tuk, negocie o preço. O primeiro preço nunca é o valor da corrida, pois eles já esperam pela negociação.


A melhor maneira de fazer passeios afastados é contratando passeios. Para visitar o mercado flutuante, contratamos um passeio com translado de van incluído com uma agência local.
Já o passeio para Ayutthaya, iríamos de van, que saem frequentemente de Victoria Station ao custo de 70 THB por pessoa, o trajeto, enquanto que de trem, o trajeto custa em torno de 350 THB, dependendo da classe da cabine. Quando estávamos saindo do hotel um taxista nos atacou e negociamos o passeio de taxi. Foi ótimo, porque foi muito mais cômodo. Irei contar mais detalhes dessa negociação e do passeio em um próximo post.
Dependendo da localização do seu hotel, você pode utilizar o metro ou skytrain. O blog 360 Meridianos tem um post ótimo sobre o assunto - veja aqui.
Onde ficar |
A rede hoteleira em Bangkok é muita vasta e os preços muito tentadores. Confesso que comecei as minhas pesquisas escolhendo hotéis top (era nossa oportunidade de se hospedar bem pagando pouco) e a medida que o dólar ia explodindo (viajamos em novembro de 2015, com o dólar na faixa de R$ 4,15) eu fui diminuindo minhas exigências.
Escolhemos o BBB Rambuttri Village Plaza e pagamos em torno de $30 a diária para adulto e uma criança, com café da manhã. Gostamos muito da hospedagem e ficaríamos hospedados lá novamente, com certeza.

O quarto era bom, a cama excelente e o chuveiro também. O único fator que não gostamos foi que não havia box de vidro ou cortina na área do chuveiro, mas logo entendemos o porque. Em poucos minutos tudo voltado a ficar seco, em função do grande calor que faz na cidade.

O hotel oferecia café da manhã incluído, wifi gratuito, piscina no terraço, agência de viagem (o que foi ótimo na hora de negociar passeios), restaurante com cardápio internacional e localização excelente. Foi possível fazer grande parte dos passeios caminhando, ou mesmo usando tuk tuk. O hotel está localizado a 5 minutos de caminhada da Khao San Road e sua vizinhança inclui muitos bares e restaurantes. Para reservar o hotel, ver disponibilidade e valores para o período da sua viagem, clique aqui.
O que fazer em Bangkok |
Dia 01: Chegamos em Bangkok na metade da manhã, assim que fizemos check in no hotel, fomos almoçar no restaurante do hotel mesmo. Eu já havia deixado o dia livre, pois imaginei que estaríamos cansados da viagem. Mas cansados não era a palavra certa para nos descrevermos, estávamos moídos. Caminhamos um pouco pela vizinhança, trocamos dinheiro, e fomos descansar. Simplesmente capotamos e acordamos novos de madrugada. Antes das 6h da manhã estávamos de prontidão esperando o café da manhã abrir.
Se vocês assim como a gente, chegar em Bangkok vindos do Brasil, aconselho a deixar o primeiro dia livre para se adaptar ao fuso horário.
Dia 02: O primeiro dia oficial em Bangkok estava reservado para conhecer os templos mais famosos: Grand Palace, Wat Pho e Wat Arun. Como eles estão localizado muito próximos, é perfeitamente possível visitar os três no mesmo dia e ainda ir caminhando do Grand Palace ao Wat Pho (o Wat Pho está localizado nos fundos do Grand Palace) e depois conhecer o Wat Arun, sendo necessário apenas cruzar o rio de barco.
Antes das 8h estávamos em frente ao Grand Palace e assim que abriu entramos. Como já estávamos vestidos adequadamente entramos direto e compramos nossos ingressos, sem fila. O Grand Palace é o melhor exemplo da arquitetura tailandesa e um dos locais mais bonitos de Bangkok. Construído em 1782, foi residência da família real por muitos anos, e é no Grand Palace que está localizado o Buda de Esmeralda, um dos mais reverenciados Budas de toda Tailândia.

Saímos do Grand Palace e fomos caminhando ao Wat Pho, onde fica o famoso templo do Buda Reclinado, o maior Buda deitado da Tailândia com 43 metros de comprimento. No Wat Pho, não se exige vestimenta específica. O local é lindo.


Dentro do Wat Pho está localizado a escola de Massagem da Tailândia, e foi nossa primeira experiência de massagem no país. Fomos os três para uma sessão de massagem. Eu e o pequeno fizemos foot massagem, e o marido fez thai massagem. Foi uma delícia. Não deixe de experimentar a massagem no local, um dos locais mais tradicionais do país. Tradicionalmente conhecida como uma arte espiritual e curativa ligada aos ensinamentos do budismo, durante muito pouco a massagem era somente praticada em templos.

Após relaxar na massagem e conhecer o Wat Pho, queríamos conhecer o Wat Arun, também conhecido como Templo do Amanhecer, localizado na outra margem do rio Chao Phraya. No Tien Pier sai um barco que faz a travessia do rio até um píer ao lado do templo.

Chegando lá, demos com a porta na cara, pois o templo havia acabado de fechar, pois haveria uma celebração no local com a presença do rei. Foi aí que o perrengue começou. A família real é muito idolatrada na Tailândia, e por questões de segurança, o rio foi fechado para travessias, e não era permitido caminhar nas ruas próximas aos local. Até tentamos seguir caminhando até um outro píer, mas fomos barrados e tivemos que esperar sentados. Apenas 2h depois, quando tudo terminou que conseguimos nos deslocar de voltar a outra margem do rio.

Dia 03: No dia anterior contratamos um tour para conhecer o mercado flutuante de Damnoen Saduak, na própria agência localizada na área do hotel. O tour saída às 7h30min e levamos em torno de 1h30min até lá. Infelizmente, quando chegamos no mercado, começou a chover forte e as fotos que vocês verão nesse post não serão as mais lindas.

No tour estava incluído um passeio em barco com motor, mas o bacana é o passeio em paddle boat onde você pode viver a experiência do mercado. O passeio custa 150 THB e é contratado no próprio mercado. A experiência é muito diferente de tudo o que vimos e literalmente é vendido de tudo e mais um pouco no mercado. Os vendedores "pescam"o barco e o aproximam de suas bancam, para oferecer os seus produtos, e então inicia a negociação. O primeiro preço é sempre muito inflacionado e normalmente leva-se o produto pela metade do preço. Se você disse que não quer, eles vão oferecendo os produtos e baixando automaticamente os preços, a fim de tentar vender. Esse passeio tem duração de 30 minutos.


Após o passeio, você tem tempo livre para passear pelas barracas do mercado. Encontra-se de tudo, comidas, lanches, roupas, objetos decorativos, produtos típicos, souvenirs e até cobras os turistas fotografarem. Às 11h, o grupo se reencontra no local marcado para o passeio com o barco de motor pelos canais e periferia do mercado. Leia o post "Como é o passeio para o mercado flutuante de Damnoen Saduak"para conhecer todos os detalhes do passeio.

Às 13h30min já estávamos de volta à Bangkok. Almoçamos no hotel e pegamos um tuk tuk para a Golden Mountain, também conhecido como Wat Saket. A Golden Mountain tem uma vista linda da cidade, já que foi construída sobre uma colina artificial. O local parece um oásis no meio de uma cidade caótica.

Após o passeio pegamos outro tuk tuk com destino ao Wat Pho, mas nosso objetivo era ir ao Wat Arun, que tínhamos tentado visitar no dia anterior, já que o píer de onde saem os barcos que fazem a travessia do rio Chao Phraya fica quase ao lado. A travessia demora menos de 5 minutos.
Embora o Wat Arun estivesse em reforma durante a nossa visita ( novembro de 2015), nos encantamos pela sua beleza e localização privilegiada. O templo é imponente e seus jardins são maravilhosos.


Para visitar o templo é preciso usar calça ou saia para as mulheres. Como nossa ideia não era visitar o local, saí desprevenida, mas aluguei uma saia na bilheteria. Custou apenas 20 THB, mas foi preciso deixar mais 100 THB de garantia. Quando devolvi, recebi o valor de volta.


Após o passeio paramos na Khao San Road, a rua mais conhecida de Bangkok. Parada obrigatório de todos viajantes, o local tem de tudo: muitas opções de hospedagem, restaurantes, bares, lojas, casas de massagem, barracas de rua, estúdios de tatuagem e tudo mais que você puder imaginar.

Vi vários relatos de quem tivesse experimentado insetos por lá, mas não vi nada disso. O que vimos de mais "exótico"foi um vendedor de documentos falsos. Mas o que mais gostamos foram as casas de massagem. São várias opções, entre fish massagem, foot massage e thai massage, a um preço muito tentador. Impossível resistir.

Para quem não conhece a fish massagem, é uma espécie de aquário cheio de peixinhos, onde você coloca os seus pés e esses peixinhos fazem a massagem alimentando-se das peles mortas dos seus pés. Eu experimentei e confesso que achei estranho. A sensação é de coceira. Valeu a pena pela experiência, mas eu curti mesmo foi a foot massage.

Dia 04: O roteiro para esse dia previa conhecermos Ayutthaya e pelas minhas pesquisas a melhor maneira de chegarmos até lá seria de van, que parte de Victoria Station. E assim que chegássemos lá contrataríamos um tuk tuk para passear entre os templos. Mas logo que colocamos os pés para fora do hotel foram abordados por vários taxistas, que tentaram a todo custo nos levar para lá. Depois de muito negociar fechamos com um motorista por 1500 THB, o que acabou sendo um ótimo negócio, pois tínhamos um carro com ar condicionado (lembrem que o calor é intenso) para todo o passeio.

O trajeto até Ayutthaya demorou em torno de 1h30 min. Ayutthaya foi uma antiga capital da Tailândia. Patrimônio Mundial da Unesco, a cidade é cheia de ruínas e templos para visitação. É praticamente impossível visitar todos os templos em um bate volta, como era a nossa intenção. Antes de ir, eu havia pesquisado os templos que gostaria de visitar. Escolhi seis deles, que visitamos em aproximadamente 3h30min. Me encantei por Ayutthaya e recomendo a todos que visitarem Bangkok, fazer um passeio até lá. Tenho muito a contar sobre o passeio e em breve publicarei um post específico sobre a cidade. Leia o post "Visitando Ayutthaya"para conhecer todos os detalhes da visita.

Chegamos de volta ao hotel eram 14h. Almoçamos, nos refrescamos e decidimos conhecer o Asiatique, um local que tinha sido muito bem indicado para o final de tarde. Pesquisei a melhor maneira de chegar até lá pelo Google Maps e o melhor caminho seria pelo rio. Caminhamos até o ponto de parada mais próximo e pegamos o ônibus barco.
O local é muito bonito, uma mistura de calçadão, parque de diversões e shopping, com várias opções de restaurantes.

Chegamos a noite ao hotel, arrumamos as malas, pois na manhã seguinte seguiríamos viagem para Railay Beach, em Krabi. Leia o post"Railay Beach, muito mais que uma praia bonita"- para conhecer todos os detalhes do local
Se eu tivesse um dia a mais, adoraria de ter conhecido a Casa de Jim Thompson, um empresário americano que foi o fundador da renomada Companhia de seda tailandesa. Ficou para a próxima vez.
Informações importantes |
* A Tailândia, sofre com o efeito das monções.  A melhor época para viajar para lá é de novembro a fevereiro, porque não chove e não é tão quente. Nós viajamos em novembro e foi perfeito.
* Pechinche, negocie ou barganhe, seja lá a palavra que você prefira usar. No início é estranho, mas logo você se acostumará com o processo. Os preços são sempre inflacionados, pois eles já esperam essa negociação. Negocie com prestadores de serviços, tuk tuks, compra de produtos e principalmente se for comprar algum produto nos mercados flutuantes.
* São comuns as histórias de turistas que foram enganados em Bangkok. Leia sobre o  assunto para se precaver. As histórias mais frequentes são de turistas abordados por pedestres dizendo que os templos estão fechados, tentando assim levar o turistas a outros lugares, onde obviamente, a pessoa ganha comissão. O próprio sistema de auto falantes do Grand Palace, alerta sobre esses casos e enfatiza o horário de funcionamento do local. Outros casos, do mesmo tipo, são de motoristas de tuk tuk, que tentam convencer os turistas a fazer um tour completo, onde também os levam apenas em lugares onde interessam a eles. Na hora de contratar um tuk tuk seja claro e especifique apenas o trajeto desejado. Nós não tivemos nenhum problema quanto a isso e não fomos abordados.
* Lembre-se que para visitar os templos é preciso estar vestindo calças compridas para homens ou saia e vestido longo para mulheres, além de estar com os ombros cobertos, em respeito à religião. Alguns templos oferecem aluguel de roupas e outros fazem empréstimos, mas as vezes as filas eram grandes. Já chegue ao local vestido apropriadamente e evite ser barrado na entrada.
* Em vários locais pela cidade e nos aeroportos, em toda Tailândia, você encontrará placas informando que o comércio de imagens de Buda, é proibido, ao mesmo tempo que imagens estão expostas a venda. Respeite e não infrinja as regras do país.

* Faz muito calor. Um hotel com piscina, nem que seja para se refrescar no final da tarde, pode fazer a diferença.
* Não se preocupe em relação a alimentação. Lembre-se que nós viajamos com uma criança de 5 anos, super chata para comer. Praticamente todos restaurantes tem cardápio com opções ocidentais, o que significa, comida normal, para quem não curte comida asiática. Comemos muita massa, pizza, peixes e até carne. O guri gosta de comer massa sem molho, apenas preparada na manteiga e sempre fomos atendidos quando solicitados se ela possível preparar algo especial para ele. Também existem opção de fast food, como Mac Donald's e Burger King, para alguma emergência. Para quem gosta de comida tailandesa, será muito fácil se adaptar. Os cardápios são bastante variados. E além dos restaurantes, existem muitas opções de comidas de ruas, por um custo bastante baixo. E não, não comemos insetos.


* É bastante fácil trocar dinheiro por lá, levando dólares ou euros. São várias casas de câmbio pelas ruas e locais turísticos e muitos hoteis também fazem o câmbio para os hóspedes.
* Não é todo mundo que fala inglês, mas nem por isso a comunicação é difícil. Os tailandeses tentam se comunicar, nem que seja desenhando ou fazendo mímicas.
* Nós compramos um chip de celular e foi ótimo para estar conectados, podendo pesquisar informações a qualquer momento, utilizar o Google Tradutor ou mesmo utilizar o Google Maps para pesquisar a melhor forma de fazer um deslocamento. Contei todos os detalhes no post "Onde comprar chip de internet e telefone na Tailândia". Se você é mais prático e já deseja sair com o chip internacional daqui do Brasil, pode adquirir com a EasySim4U. Leia mais detalhes sobre os produtos da empresa aqui.
Quanto custa?
Passeio ao mercado flutuante de Damnoen Saduak: 250 THB - contratado na agência do Rambuttri Village Plaza
Paddle Boat no mercado flutuante: 150 THB
Tuk Tuk do Hotel Rambuttri para Golden Mountain: 150 THB
Tuk Tuk Grand Palace até Khao San Road; 100 THB

Passeio de um dia para Ayutthaya com táxi privativo: 1550 THB
Barco que faz a travessia no rio Chao Phraya, até o Wat Arun: 3 THB
Ticket Wat Arun: 50 THB
Ticket Grande Palace: 500 THB
Ticket Wat Pho: 100 THB
Ticket Golden Mountain: 20 THB
Tickets Templos de Ayutthaya: entre 20 e 50 THB
30 min massagem nas pernas e pés: 280 THB
30 min massagem tailandesa no Wat Pho: 260 THB
Barco ônibus pelo rio Chao Phraya: 40 THB
Táxi aeroporto - hotel: 600 THB com pedágio incluído
Táxi hotel-aeroporto: 500 THB com pedágio incluído
Posts sobre a Tailândia:
* Bay View Resort | review de hospedagem em Koh Phi Phi
* Tailândia com criança | Como montar roteiro de 12 dias que agrade a família inteira
* Onde comprar chip de internet e telefone na Tailândia
* Ásia com criança | Roteiro de 30 dias conhecendo Tailândia, Cingapura e Indonésia
* Maya Bay | Ainda é possível visitar esse lugar paradisíaco sem muvuca
* Passeio de lefante na Tailândia | Nossa experiência em Ao Nang
* Koh Phi Phi | Roteiro de quatro dias para aproveitar o melhor da ilha
* Railay Beach | Muito mais que uma praia bonita
Para ver mais fotos, siga nosso perfil no Instagram - @Fran_agnoletto e a #ViagensqueSonhamosnaTailandia
Quer reservar hotel em Bangkok?
Use o banner localizado na lateral direita dessa página, ou esse link aqui. Reservando seu hotel através da nossa página você não paga nada a mais por isso, tem a garantia de menor preço do Booking.com e ainda fornece uma pequena comissão para o blog.

29 comentários:

  1. Tudo muito lindo e exótico. Os templos são lindos, mas o que me chamou a atenção (além das comidas) é essa natureza verde e luxurejante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Bangkok é fervilhante.
      Me surpreendeu demais!
      beijos

      Excluir
  2. Vou guardar suas dicas, ainda não fui para bankok mais ja estou programando uma viagem. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paloma,
      Bangkok é demais. Quando for volte aqui!
      beijos

      Excluir
  3. Estou encantada com seus posts. Amando Bankok.

    ResponderExcluir
  4. A Tailândia é demais! Esse foi um dos posts mais completos que li sobre Bangkok! Adorei!

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Sim Adrielle,
      Exótico e convidativo são palavras que combinam bem com o destino

      Excluir
  6. Queremos muito visitar Bangkok, espero que seja muito em breve.

    ResponderExcluir
  7. Nossa... super diferente esse destino.!
    Ainda não conhecia... vou colocar na minha lista de desejos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caren,
      A Tailândia em si, é demais. tem muito lugar interessante.
      Aqui no blog já escrevi sobre vários destinos

      Excluir
  8. Adorei! Tailândia está na minha lista, e certamente suas dicas vão ajudar muito quando eu for planejar a viagem pra lá. Muito obrigada! Um beijo

    ResponderExcluir
  9. Que legal deve ser conhecer essas culturas totalmente diferentes.

    ResponderExcluir
  10. Adorei muito lindo quero ir na Tailândia. 😃👍

    ResponderExcluir
  11. Adorei o roteiro. Eu imagino o perrengue na celebração do rei. Certeza que estaria meio desesperado rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deivson,
      No fim deu tudo certo, só atrapalhou e muito nossa programacão.
      Fico pensando a "confusão"que deve ter sido agora, com o luto da morte do rei.

      Excluir
  12. Oba, Fran... adorei o post e as dicas! Estou aquecendo os meus motores só na expectativa de, finalmente, ir lá. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi,
      Tenho certeza que você irá amar!!
      Beijos

      Excluir
  13. Ando louca para ir pro sudeste asiático, mas sozinha não e animo e não encontro companhia! Mas curti muito seu post, completinho. tô favoritando e... desejando uma massagem agora mesmo. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poli,
      Está na nossa lista de 2017. Vem com a gente!!!
      Beijooo

      Excluir
  14. Esse post está super completo!!
    Eu amo Bangkok e já estou contando os dias para voltar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Gabi,
      Bangkok me surpreendeu demais!
      Curti muito a cidade e também quero voltar!!
      Beijos

      Excluir
  15. Já li alguns posts sobre Bangkok por aí mas sempre fico meio perdida! Muito bom ver td organizadinho em um roteiro aqui!

    ResponderExcluir
  16. Taí, você me fez ficar curiosa em conhecer Bangkok, mesmo com todo o caos do lugar!! Adorei as fotos =)

    ResponderExcluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Pesquise aqui qualquer conteúdo do Viagem que Sonhamos, tecle enter