15 julho 2017

Roteiro de seis dias em Gramado, com dicas de restaurantes, hospedagem e passeios

A Rafaela e sua família estão sempre programando lindas viagens pelo mundo. Eles já relataram aqui no Viagens que Sonhamos a viagem que fizeram em Barbados. E eu nem preciso dizer que me apaixonei tanto pelo relato, que tratei de conhecer logo aquele paraíso.
Nas férias de julho eles escolheram conhecer  a Serra Gaúcha e nesse post da série "Viajando com os leitores", ela compartilha conosco seu roteiro, suas descobertas e impressões dos seis dias que passaram no Rio Grande do Sul.

Onde se hospedar |
Escolhemos o Hotel Laghetto Stilo Centro. Hotel super bem localizado, em uma rua paralela a Borges de Medeiros, que é a rua principal do centro de Gramado, próximo as principais lojas e restaurantes da cidade.
Nosso  quarto tinha  uma cama de casal e uma de solteiro. O quarto não é grande, mas bem confortável, com uma variedade de travesseiros e um edredom quentinho. Os amenities de banho são da Natura.
Hotel Laghetto Stilo Centro

O café da manhã é bem variado, com muitas opções, mas as opções não mudam com o passar da semana. Todos dias os mesmos pães, os mesmos bolos, as mesmas geléias... mas tudo muito saboroso. Próximo do elevador havia sempre água saborizada, chocolate quente e café a disposição dos hóspedes.
O estacionamento é pago a parte, R$ 33,00 a diária. Staff muito simpático. O único inconveniente era uma funcionaria que ficava insistindo cada vez que entravamos ou saíamos do hotel, para conhecer o novo empreendimento da rede Laghetto, e em troca nos daria um voucher de R$ 200,00.
Booking.com Leia o post "Hotéis da rede Laghetto, qual escolher para se hospedar em Gramado?"para conhecer mais sobre os hotéis da rede Laghetto na cidade.
Para pesquisar valores e disponibilidade para o período da sua viagem, clique aqui.
Roteiro de viagem |
Dia 01: Chegada em Porto Alegre. Retirar o carro que alugamos com a Localiza. Uma Spin automática, já que estávamos em seis pessoas. Depois de ajeitar, tirar e por coisas nas malas, conseguimos acomodar 6 pessoas, 4 malas médias e 2 mochilas.

Fizemos o caminho via Taquara. Saímos de Porto Alegre por volta das 17 horas, e chegamos em Gramado depois das 19h30min. Achei a estrada movimentada e perigosa, principalmente no trecho perto de Porto Alegre. A volta de Gramado pra Porto Alegre foi mais tranquila, só com mais trânsito quando chegamos próximo de Porto Alegre mesmo. Deixamos pra abastecer o carro perto da Localiza, e claro que pagamos mais caro. Na estrada tinham postos com gasolina a R$3,19 e lá pagamos R$3,79. Após check in no hotel Laghetto Stilo Centro, fomos conhecer a Rua Coberta. Jantamos no Armazém do Bill na Rua Coberta. Comemos pizza, pois já estávamos cansados e precisávamos de uma refeição mais rápida. Pizza muito saborosa e preço justo. A sobremesa foi um petit gateau na Florybal – um petit muito pequeno, um chocolate muito ruim, e um preço muito alto. Não recomendo.
Dia 02: Pela manhã fomos novamente conhecer a região da Rua Coberta. As lojas ficam abertas das 10h até às 19h. Os cafés e restaurantes muitas vezes funcionam até meia noite.

Conhecemos a Praça Major Nicoletti, o Palácio dos Festivais, sede do Festival de Cinema de Gramado e também a Igreja São Pedro e a Fonte do Amor Eterno.

No Largo da Borges aprendemos mais sobre o chimarrão, em um quiosque. O rapaz fez uma explanação sobre o mate, a cuia, a bomba e fez um chimarrão para provarmos. Explicou que a cuia deve ser passada para a pessoa do seu lado direito e sempre com a mão direita.
O almoço foi na Bodega Burgers & Food. Fomos até lá pensando nos hamburgers, mas durante o almoço, eles servem somente pratos executivos. Os pratos são bem servidos, muito saborosos e por um preço muito em conta. O prato do dia, que no caso era strogonoff de carne, custou R$ 21,90. Adoramos o restaurante, tanto que voltamos outra vez, pra provar o menu do jantar. O restaurante é afastado da área turística da Borges, portanto é frequentado pelos moradores, o que deixa os valores bem mais acessíveis.
À tarde fomos conhecer a Cascata do Caracol, com vista do Bondinho do Parque da Serra. O preço na bilheteria é  R$ 42,00 por pessoa (acesso ao parque + Bondinho), mas economizamos comprando antecipadamente no Tchê Ofertas,  por R$ 37,90.
Na volta, paramos no Castelinho Caracol que tem a melhor torta de maçã da região. Custa R$ 10,00 por pessoa, para entrar, e mais o que consumir na casa de chá. O strudel custa R$ 25.00. Pedimos o strudel com nata.
Porém, dias antes da viagem, enviei um email, pedindo isenção da taxa dos 10,00, já que iríamos só comer o strudel e não teríamos tempo de visitar a propriedade. A proprietária  deixou nossos nomes para entrarmos só na parte do café, sem precisar para os R$ 10,00.
À noite  jantamos sopa do pão, na São Pedro Casa de Pães e Café, que ficava bem próximo ao nosso hotel. Escolhemos a sopa de palmito que custou R$ 36.90.
Dia 03: Paramos no Mirante Belvedere, na estrada entre Gramado e Canela para ver o Vale do Quilombo e após fomos conhecer a  fábrica de Chocolates Prawer. Essa é a única que se pode ver a linha de produção, mas infelizmente não é permitido fotografar. A visita acontece por dentro da fábrica e termina com degustação. Muito interessante. Vale a visita

A visitação acontece de  segundas a sextas-feiras, das 9h às 11h30min e das 14h às 16h. Nos finais de semana e feriados, apenas a loja da fábrica está aberta e não é possível visitar a fábrica.
Paramos também nos  outlets de calçados, que ficam próximos, mas é pura perda de tempo. Não tem nada de barato e o que tem barato, é muito feio.
Fomos conhecer a Lugano Chocolates e a sua fábrica. Mas diferente da Prawer, só é possível apreciar a fabricação através de um vidro e nesse caso, é possível fotografar. A produção do chocolate pode ser vista de segunda a sexta, das 8h30min às 12h, e das 13h30min às 17h20min.
Chegando em Canela, paramos para tirar fotos no  Mundo a Vapor e também em um letreiro “Eu amo Canela”, que fica em frente ao Museu do Automóvel, bem na entrada da cidade.
Estacionamos o carro próximo ao Colégio Marista, que fica na rua de cima da igreja, pois lá não tem zona azul e o estacionamento é gratuito. Conhecemos a Catedral de Pedra de Canela e fomos almoçar no Containner Bistrot, que fica bem próximo. Não é muito barato, mas a comida é excelente e o ambiente super diferente. No fundo do bistrot existe uma loja de objetos de decoração que vale a visita.
Aproveitamos para conhecer a Dauper Biscoiteria e também a Holic Pâtisserie que vende doces lindíssimos.

A noite, voltamos ao Bodega Burgers, para provar os hambugers gourmet do cardápio. O pessoal adorou. Eu fui de sopa de capeletti que estava divina e quem pediu risoto, também não se arrependeu. Preço justo, ambiente super agradável, garçons mega simpáticos. Foi o nosso restaurante preferido da viagem.
Dia 04: Fomos conhecer a Fábrica de Cristais. Tem uma apresentação de como se faz um vaso de cristal, e no canto da loja, fica um rapaz fazendo as miniaturas de vidro. Vale a visita, mas as peças são bem caras.
Paramos também na Senhor da Mesa, uma loja bem próxima à Fabrica de Cristais, que foi indicada por um garçom, pois queríamos comprar canecas de alumínio pra tomar café. Aproveitei e comprei também um mini coador de café.
A próxima visita seria na Vinícola Ravanello. Infelizmente chegamos muito tarde e a última visitação do período da manhã já havia iniciado, mas passeamos pela propriedade, que é bem interessante.
As visitações guiadas acontecem às 10hrs, 11hrs, 14hrs, 15hrs e 16hs.
À tarde fomos experimentar um típico café colonial no Ramm's Typischer Kaffee.

Fica na área rural, em um ambiente bem rústico, com casa antiga, móveis e fogão a lenha. Tudo muito ajeitado e muito saboroso. Diferente dos cafés servidos na cidade, os pratos são colocados em uma mesa principal, como um buffet e a gente se serve.  O que achei ótimo, pois evita o desperdício. O café fica num bule de alumínio, sob o fogão... sempre quentinho. O único prato que é trazido na mesa, é o de strudel, que vem quentinho. O casal responsável pelo café fica por ali. Ela serve os pratos e ele serve o café. Os filhos também ajudam. Chegamos por volta das 12h30min, pois iríamos fazer nosso café colonial, como um almoço. Estava vazio, só duas famílias. Mas segundo eles, mais para o final da tarde, chegaria um grupo grande. Vale muito à pena conhecer. Esse café foi matéria de um dos programas Estrelas, da Angélica.
Depois fomos fotografar o Pórtico de Gramado via Nova Petrópolis e passear no Lago Negro.

Não poderia ir embora de Gramado sem provar o Royal Trudel, um cone tipo pretzel recheado ou natural com doce típico do leste europeu.
À noite, jantamos sopa no pão no restaurante Mestre Cuca. A sopa estava bem gostosa mas o serviço foi muito demorado.
Dia 05: Fomos caminhando até a Praça das Etnias onde estava acontecendo o evento Estação Gramado, com várias atrações e degustação de café Melitta. Conhecemos a Rua Torta e as delícias da Casa do Colono.

Nosso almoço foi na Cantina Pastasciutta, bem em frente à Praça das Etnias. Pratos super bem servidos, suficiente para 3 pessoas. Pedimos um gnochi com molho de nata que estava divino. E de sobremesa, finalmente consegui comer o sagu de vinho com creme de nata. Não é um restaurante barato, mas pela qualidade e quantidade da porção, vale muito conhecer.
À tarde fomos para Canela no Parque da Ferradura. Leia o post "Parque da Ferradura, uma das vistas mais bonita da Serra Gaúcha".
Jantamos Rodízio de Fondue no Maximilia. Custou  R$ 44,00 por pessoa, pois compramos antecipado pelo  Laçador de Ofertas. Adoramos o local, muito bem servido. Sequência de queijo (com pão, batata, goiabada, cenoura); carne na pedra (gado, frango e porco com 14 tipos de molhos, os melhores pra mim, eram as geleias de morango e laranja) e de chocolate (com frutas). Como tínhamos o cupom, só pagamos as bebidas.
Dia 06: Passeamos pelo centro da cidade e compramos chocolates na Lugano.
O almoço foi no Caracol Gourmet na Rua Coberta. Pedi um crepe de carne muito saboroso. Eram dois crepes, com recheio de filet mignon e gorgonzola por R$ 28,00. Achei o preço excelente.
À tarde, ultimo passeio em Canela. Sentamos na Caracol Chocolates, que fica bem em frente a Catedral de Pedra, para um café e para aguardar as luzes da igreja se acenderem. Tomei um choconhaque divino. Até achei que seria mais forte, mas estava na medida certa, super suave.

Depois de várias fotos da igreja, voltamos pra Gramado.
O jantar foi na Casa da Velha Bruxa, e finalmente comi a sopa de pinhão. Muito saborosa e com pedaços de pinhão, ela é servida no pão.

Obrigada Rafa!!! Vocês são sempre muito bem vindos por aqui!! Esperamos vocês em Bento Gonçalves.
Outros posts sobre Gramado e Canela:
 Para ler nossos posts sobre a Serra Gaúcha, clique aqui ou acompanhe o Instagram, através da #ViagensqueSonhamosnaSerraGaucha
Quer reservar hotel em Gramado?
Use o banner localizado na lateral direita dessa página, ou esse link aqui. Reservando seu hotel através da nossa página você não paga nada a mais por isso, tem a garantia de menor preço do Booking.com e ainda fornece uma pequena comissão para o blog.
Procurando carro para alugar em Gramado?
Use o banner localizado na lateral direita dessa página, ou esse link aqui. Reservando seu carro através da nossa página e Rentcars, você não paga nada a mais por isso, e ainda fornece uma pequena comissão para o blog. Nós já experimentamos o serviço e aprovamos. 

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

Um comentário:

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Pesquise aqui qualquer conteúdo do Viagem que Sonhamos, tecle enter